O Mecânico de Vôo

A Quem Amedronta o Lobo Mau? 

Já estamos cansados de escutar comentários de alguns “profetas” sobre o futuro do Mecânico de Voo. Não há absolutamente razão para receios.

De vez em quando ouvimos os “entendidos” falar acerca da simplificação dos aviões de transporte do futuro: porém, se analisarmos mais detalhadamente, podemos classificá-los em dois tipos:

A hiena que espreita nosso emprego e profissão, querendo-o a qualquer preço ou o asno que não viu ainda os aviões modernos ou se os viu é tecnicamente incapaz de julgar se o Mecânico de Vôo é necessário ou não.

Partindo da necessidade básica do Mecânico de Vôo – a complexidade dos aviões e sua operação – e então voltando-se para uma comparação detalhada dos futuros aviões de transporte com os da atualidade, você verá que os aviões do futuro e sua operação são imensamente mais complexos que qualquer dos tipos atuais.

Sistema por sistema, item por item. o Mecânico de Vôo terá que saber mais e ser cada vez mais preciso em sua operação.

A tarefa do Mecânico de Vôo está se expandindo em escopo e importância.

Operacionalmente, o Mecânico de Vòo vai ter menos tempo de exercer suas funções acertadamente e tomar medidas corretivas quanto ao mau funcionamento do avião e seus motores.

O avião moderno não perdoará qualquer relaxamento ou incompetência da parte de qualquer membro da tripulação.

Com velocidades maiores de aproximação e diminuição do espaço aéreo, a atenção dos pilotos será quase que exclusivamente concentrada para fora do avião, não lhes sobrando tempo para cuidar de motores e sistemas.

Embora a importância do controle de cruzeiro que se poderá exercer nas etapas curtas seja reduzida nos vôos de longa duração, continentais ou intercontinentais, o máximo de milhas por libras de gasolina, controle de gasolina será função bastante crítica.

Enquanto hoje, pressurização, aquecimento e ventilação sejam luxo e conforto, amanhã passarão a ser questão de vida ou morte.

Sistemas de oxigênio e outros melos de respiração artificial exigirão sua maior atenção.

Grande quantidade de equipamento elétrico e eletrônico desafiará sua perícia e conhecimento a todo instante e, para citar uma antiga máxima, “a única coisa que a temer será o temor”

Nós fizemos do nosso trabalho uma profissão respeitada que alguns amigos da onça gostariam de arrebatarmos. A parte da segurança de vôo da qual estamos encarregados continuará a exigir homens de classificação técnica superior.

Autoria:William D. Kent.*

Data: 01/09/1956

Publicação Original: Periódico A Bússola – Ano 05 – Edição 32 – 1956 
____________________________________________________________________________

(*) Presidente da F.E.I.A, (Associação Internacional dos Mecânicos de Vôo, em Flight Engineer”)